segunda-feira, 15 de março de 2010

Uenf tem banco de preservativos para estudantes e comunidade

 Em parceria com o Programa Municipal DST/Aids, a Uenf disponibiliza para seus alunos o Banco de Preservativos, que funciona no térreo do prédio do CCH (Centro de Ciências do Homem). Mensalmente o banco distribui 2.044 preservativos masculinos e femininos, os quais podem ser obtidos gratuitamente pelos alunos. Para isso basta fazer o cadastro no Serviço Social/CCH da Universidade. A cota mensal é de 16 preservativos por aluno.
 Criado em 2006, o banco possui atualmente 500 alunos cadastrados e recebe uma cota extra de preservativos destinada às comunidades do Matadouro e Três Vendas, com as quais o Serviço Social/CCH desenvolve projetos de extensão. A proposta, segundo a assistente social da Uenf Maria Helena Barros, é promover entre os jovens o hábito de usar camisinha em todas as relações sexuais e alertá-los para a importância da prevenção contra doenças sexualmente transmissíveis.
 - Geralmente o jovem usa o preservativo nas primeiras relações sexuais, mas quando se aprofunda no relacionamento abandona essa prática, usando métodos que só previnem a gravidez - diz Maria Helena.
 Recentemente uma pesquisa realizada com 200 alunos da Uenf para subsidiar a monografia de uma aluna do curso de bacharelado em Ciências Biológicas constatou que o comportamento sexual dos jovens é arriscado. Mesmo com bom nível de esclarecimento sobre o assunto, muitos se aventuram em relações sexuais desprotegidas. 
 - O quantitativo de jovens que procura o banco ainda é tímido, se comparado ao número de alunos que estuda na universidade. É importante considerar os diversos fatores que influenciam na prática do uso do preservativo, como a religião, o discurso da confiança, gênero, cultura, escolaridade. Os homens são maioria na iniciativa de pegar os preservativos - afirma a assistente social.
 Para ela, há ainda uma banalização da AIDS. Isto porque hoje o tratamento - quando existe adesão - consegue prolongar a vida do paciente. Maria Helena observa que muitos jovens vivem em situação de vulnerabilidade, mas ainda assim praticam sexo desprotegido, colocando em risco a própria vida, bem como daqueles com os quais se relacionam.

Aids aumenta entre as mulheres

 Dados do CTA de Campos (Centro de Testagem e Aconselhamento) comprovam que, dos exames feitos em 18.940 pessoas, no período de 2006 a novembro de 2008, 84% eram mulheres e apenas 16% eram homens. A maioria dos resultados de HIV positivo também foi do sexo feminino (1,90%), contra 1,57% do sexo masculino, corroborando a tendência ao longo dos anos da feminilização da doença.
 Outro dado alarmante é a disseminação da doença entre os idosos. No Brasil, dentre os mais de 500 mil casos notificados, cerca de 15 mil atingem a terceira idade. Em Campos, ainda de acordo com dados do CTA, os exames de HIV atestam um total de 326 idosos soropositivos, sendo 160 do sexo masculino e 162 do feminino.
 Além da distribuição de camisinhas, o banco de preservativos da Uenf distribui folhetos educativos, folders, cartilhas sobre as DST e HIV/AIDS, e faz demonstração do uso correto, tomando como base as próteses dos aparelhos genitais masculinos e femininos, para aqueles que ainda não sabem utilizar corretamente a camisinha.
 Uma nova ação do projeto, implantada desde 2009, com a infraestrutura adquirida pela Pró-Reitoria de Extensão e Assuntos Comunitários (Proex) (tenda, sombreiro, cadeiras),é o DST Itinerante, que irá ao encontro do aluno e funcionários, permitindo-lhes o acesso mais fácil ao preservativo. De acordo com o cronograma de visitas, serão beneficiados todos os Centros da Universidade, fazendas (Colégio Agrícola, Itaocara) e Lenep, incluindo as comunidades do Matadouro e Três Vendas.
 Maria Helena lembra ainda que o teste de HIV é gratuito e realizado no Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA) do Programa Municipal DST/AIDS/ Hepatites Virais, que fica situado na rua Conselheiro Otaviano, 241. Antes de fazer o teste é preciso assistir uma palestra ministrada no próprio local. Além do teste de anti-HIV são realizados também testes para hepatite.

2 comentários:

  1. Eu como Assistente Social integrante da equipe deste Projeto tenho q da os PARABENS!!! Tenho q da os parabens a grande mestre Maria Helena pivo de todo esse projeto como tambem a PROEX, nosso magnifico reitor e todos que sempre deram apoio e incentivo para multiplicarmos as informaçoes sobre DST/AIDS.
    Esse projeto é MARA!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  2. Maria Helena Barros Barbosa29 de julho de 2011 01:18

    Atenção comunidade uenfiana!
    Quem tiver interesse na realização do teste anti-HIV e hepatites, o CTA, além do horário da manhã oferece horário da noite também.Tem que chegar às 17:30h.O endereço:Rua Conselheiro Otaviano,241-depois do H.Dr Beda,próximo à Beira Valão.
    Não perca de fazer sua prevenção.Cuide-se!

    ResponderExcluir